TJ/SC: 87 NOVOS ENUNCIADOS SÃO APROVADOS EM BRASÍLIA PARA SOLUÇÃO EXTRAJUDICIAL DE LITÍGIOS.

O Conselho da Justiça Federal (CJF) promoveu recentemente, em Brasília, a “I Jornada Prevenção e Solução Extrajudicial de Litígios”. Foram aprovados, ao longo do evento, 87 enunciados relativos aos meios extrajudiciais de solução de conflitos, tais como arbitragem, mediação e conciliação.

PREVIDÊNCIA PRIVADA NÃO PODE SER PENHORADA PARA QUITAR DÍVIDA TRABALHISTA.

Sócios não podem ter valores de seus planos de previdência privada penhorada para garantir dívidas trabalhistas de suas empresas. O entendimento é da Subseção II Especializada em Dissídios Individuais (SDI-2) do Tribunal Superior do Trabalho que manteve a impenhorabilidade dos valores da previdência privada de um ex-sócio de uma companhia aérea bloqueados por determinação do juízo da 11ª Vara do Trabalho de Campinas (SP). Como a quantia serve principalmente à futura aposentadoria e seus proventos, em regra, não podem ser penhorados, os ministros entenderam que a proteção se estende à previdência complementar.
Continue lendo “PREVIDÊNCIA PRIVADA NÃO PODE SER PENHORADA PARA QUITAR DÍVIDA TRABALHISTA.”

TESE ANUNCIADA PELA MINISTRA CÁRMEN LÚCIA RECONHECE MULTIPARENTALIDADE.

 

A ministra Cármen Lúcia, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), anunciou, na tarde da última quinta-feira (22), a tese firmada no julgamento do Recurso Extraordinário (RE) 898060, com repercussão geral reconhecida, de que a paternidade socioafetiva, declarada ou não em registro público, não impede o reconhecimento do vínculo de filiação concomitante, baseada na origem biológica, com efeitos jurídicos próprios. Na prática, o STF reconheceu a multiparentalidade.

INVENTÁRIO EXTRAJUDICIAL: ALTERAÇÃO NAS NORMAS DA CORREGEDORIA EVITARÁ IMPOSIÇÃO DE MULTA DO ITCMD.

A Corregedoria-Geral da Justiça do Estado de SP alterou suas normas de serviço (NSCGJ) para aperfeiçoar o texto e evitar a incorreta aplicação de multa a inventários extrajudiciais. A alteração atende pleito da AASP, com posterior adesão do Colégio Notarial do Brasil.
Continue lendo “INVENTÁRIO EXTRAJUDICIAL: ALTERAÇÃO NAS NORMAS DA CORREGEDORIA EVITARÁ IMPOSIÇÃO DE MULTA DO ITCMD.”

DIVULGADAS 16 TESES CONSOLIDADAS NO TRIBUNAL SOBRE UNIÃO ESTÁVEL

STJ divulga 16 teses consolidadas no tribunal sobre união estável

Com base em precedentes dos colegiados do tribunal, o Superior Tribunal de Justiça divulgou 16 teses sobre união estável. Entre elas está a que define que a existência de casamento válido não obsta o reconhecimento da união estável, desde que haja separação de fato ou judicial entre os casados.

COMPANHEIRO NÃO PODE DOAR MAIS DA METADE DO PATRIMÔNIO COMUM DO CASAL

Companheiro não pode doar mais da metade do patrimônio comum do casal sem anuência da outra parte. Com esse entendimento, a 4ª Turma do Superior Tribunal de Justiça negou dois Recursos Especiais e manteve decisão judicial que anulou parcialmente doação de ações feita entre um empresário e seus filhos.

EM DECISÃO INÉDITA, TIA ADOTA SOBRINHA E MULHER PASSA A TER LEGALMENTE DUAS MÃES

Em uma decisão judicial pioneira em termo estadual na área do Direito de Família, a Justiça Potiguar concedeu a uma servidora pública federal o direito de ter o nome de duas mães em seu registro de nascimento: o nome de mãe biológica e o da tia paterna, que a criou desde o início da vida. O entendimento é da juíza Virgínia Marques, da 6ª Vara de Família de Natal ao analisar uma Ação de Adoção, resultando em decisão que trata de multiparentalidade.

LUCRO DESTINADO A REINVESTIMENTO NÃO DEVE SER INCLUÍDO EM PARTILHA DE BENS

A capitalização de reservas e lucros decorrentes da própria atividade empresarial constitui produto da sociedade por incrementar o seu capital social. A quantia destinada à conta de reserva, que não é distribuída aos sócios, não integra o acervo comum do casal, tendo em vista pertencer apenas à sociedade, e não ao sócio.

TST ALTERA REDAÇÃO DE SÚMULAS E ORIENTAÇÃO JURISPRUDENCIAL EM FUNÇÃO DO NOVO CPC

O pleno do TST alterou a redação das súmulas 299, 303, 395 e 456 e da orientação jurisprudencial 151, da SDI-II. As modificações foram promovidas por meio da resolução 211/16, a fim de adequar os verbetes ao novo CPC.