+ CARTÓRIOS: INSPIRAÇÃO DAS LEMBRANÇAS

tabeliao
Do escritório do pai ao cartório de notas de São José dos Campos: a trajetória do tabelião Pedro Henrique de Oliveira

Ainda criança, aos 14 anos de idade, Pedro Henrique começou a trabalhar no escritório de Direito Imobiliário do pai, aberto há 40 anos na cidade de Brasília. O cotidiano da profissão exigia constantes diálogos com os cartórios do município. Foi desta forma que descobriu a atividade notarial. “Nos anos que se seguiram, acabei exercendo diferentes funções públicas. Porém, o sempre presente interesse pela área me levou à aprovação no 3º Concurso Público de Provas e de Títulos para Outorga de Delegações de Notas e de Registro do Estado de São Paulo no ano de 2005, vindo então a assumir a delegação no 3º Tabelião de Notas de São José dos Campos”, recorda-se o notário.


Desde que assumiu a serventia joseense, Pedro Henrique se empenhou na modernização do cartório. “São José dos Campos é uma cidade de 690.000 empreendedores. Portanto, ao assumir a serventia, a preocupação foi, e ainda é, a de melhorar a cada dia. E melhorar exigiu novas e modernas instalações, a aquisição de equipamentos, a criação de rotinas administrativas e, principalmente, o treinamento dos colaboradores com foco na qualidade do atendimento”, explica.

A intensa movimentação de recursos em São José dos Campos reflete diretamente no dia a dia do cartório. Elevada à categoria de cidade em 1864, a antiga Vila de São José é atualmente referência nacional em tecnologia aeronáutica. “Atender com presteza e segurança representa a grande missão de todos da serventia, e remete à essência da atividade tabelioa, garantindo àqueles que nela buscam amparo os benefícios da prática segura dos atos e negócios jurídicos”, elucida o tabelião que, ao lado de outros 40 funcionários, realiza em média 250 atendimentos diários.

Após 10 anos à frente da serventia, Pedro Henrique relembra o início da carreira no escritório do pai como fonte de inspiração e compreende a atividade tabelioa como ofício muito maior do que apenas o tratamento de questões patrimoniais. “O notário, ao logo da história, tem a função de melhorar a vida das pessoas, possibilitando o desenvolvimento seguro e eficaz das relações jurídicas”.

A proximidade com a sociedade e com os seus problemas é o que torna única a função do notário: profissional dotado de fé pública que recebe e procura dar solução à situação que lhe é apresentada pelo interessado. “Daí, espontaneamente, surge a confiança que o cidadão tem nos tabelionatos de notas”.

Para preservar essa relação, o notário busca atualizar os prepostos a fim de manter a excelência na execução dos serviços prestados. “Em cada setor do cartório buscamos uma maneira própria de atualização dos funcionários em conformidade com as atividades desempenhadas, seja com participação em cursos, contato direto com o tabelião para esclarecimentos de dúvidas, acompanhamento diário dos principais veículos de circulação de atos notariais e posterior repasse de tais informações aos prepostos”.

Fonte: CNB/SP

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *